quarta-feira, 7 de dezembro de 2016
16

[RESENHA] Beco da Ilusão - Mallerey Cálgara

Lido em: Dezembro/2016
Título: Beco da ilusão
Autor(a): Mallerey Cálgara
Editora: Mundo Uno
Gênero: Literatura nacional / Drama
Ano: 2016
Páginas: 280
ISBN: 9788567218069
Onde comprar: Saraiva  ||  Site da Editora
Skoob



Sinopse: Meu nome é Sarah Wainness, mas este nem sempre foi o meu nome. É apenas mais um, entre tantos que já tive. Minha infância foi feliz e simples, como a de qualquer criança da minha idade e do meu bairro em Karnobat, Bulgária.
Éramos uma família de cinco irmãos, incluindo eu.
Papai, um homem muito bom, enérgico e religioso, frequentava a sinagoga, enquanto mamãe trabalhava em casa, cuidando de tudo e de todos nós.
Após recebermos uma herança de um tio falecido que morava em Berlim, mudamos para lá e, ao chegar, deparei-me com uma realidade totalmente diferente da que eu conhecia.
Meus sonhos desabrocharam em contato com a cidade. Um deles, tive que manter em segredo: eu queria ser bailarina. Sempre pegava as roupas da mamãe, escondida, e rodopiava no fundo do quintal, vendo tudo ao meu redor mudar. Isso me fazia feliz. Mas, um dia, meus sonhos desmoronaram e minha vida mudou completamente: os nazistas invadiram nossa casa, e fui levada para um lugar de prostituição.
Meu nome é Sarah Wainness, e já morei no Beco da Ilusão.

Biografia: Nasceu no interior de Minas Gerais, sob o signo de aquário. Apaixonada pelos seus anjos de quatro patas (meus mestres, minha vida), sem os quais não saberia viver. Mãe coruja da Nanda (a luz dos meus olhos), para quem dedica todos os seus livros.
Leitora ávida, sonhadora quase em tempo integral, adora livros de fantasia, ficção científica e sobrenaturais. Gosta de ver filmes, seriados e principalmente animes. É uma pessoa emotiva, que chora fácil, que ri fácil e que adora escrever. Tem livros e contos publicados, tanto em formato físico quanto em digital.


*Livro cedido em parceria com a Editora.





Yidish tem nove anos e mora com seus pais e irmãos em Kanobat, Bulgária. Em 1931, após o falecimento de um tio, seu pai recebe uma herança e consequentemente se muda para Berlim com a família, para assumir os negócios. 
Em sua nova cidade, Yidish descobre uma nova paixão, o balé, e se tornar bailarina se torna o seu sonho secreto. Lá ela também conhece Anton, que acaba se tornando seu melhor amigo, e Erdmann, primo de Anton. Juntos eles se divertem e dividem bons momentos. 
Tudo parecia bem, até que a perseguição aos judeus começa, se tornando um verdadeiro pesadelo.

"(...) Agora, com os olhos ofuscados pelas lágrimas que banhavam meu rosto por sonhos desfeitos, jurei para mim mesma não mais chorar por nada perdido. Sentia-me como um pássaro de asas cortadas, que fica se atirando contra as barras da gaiola." (p. 47)

"Roubaram-nos a liberdade de expressão, tornando-nos fantoches na mão do Estado. Não podíamos falar nem escrever aquilo que pensávamos. Não podíamos ter uma opinião, ou, pelo menos, ela não poderia se tornar pública, existindo apenas na nossa mente." (p. 58)

"A alegria em nossos corações foi reduzida, fazendo-me questionar se poderíamos ser felizes novamente. O que mais roubariam de nós?" (p. 60)

Yidish é inteligente e dona de uma força interior que me surpreendeu. Fica até difícil falar sobre essa protagonista que tanto me encantou e comoveu. A personagem me conquistou desde o início da história e com o desenrolar dos fatos foi ganhando cada vez mais a minha admiração. Passando pelas maiores provações de sua vida, quando eu pensava que ela não suportaria, ela me surpreendia uma vez mais.

Dentre os personagens secundários, Anton, Erdmann e Franklyn foram os que mais me agradaram. Cada um me cativou à sua maneira. Aliás todos os personagens foram muito bem caracterizados e inseridos na história, alguns com suas atitudes inescrupulosas e cruéis e outros com atitudes louváveis e caráter exemplar. Personagens realmente inspiradores, assim como Yidish.

"(...) Quais palavras escolher que pudessem abrandar o terror sob a cortina de ferro daqueles olhares? O que estriam pensando enquanto se aproximava o último sopro das suas existências?" (p. 109)

"(...) Era como se vivêssemos em um mundo paralelo, em uma realidade alternativa, onde a vida humana valia menos do que um objeto qualquer." (p. 124)

Narrado em primeira pessoa, a história começa com uma narrativa no momento presente, mostrando como está a vida da protagonista atualmente. No decorrer dos capítulos voltamos ao passado e embarcamos na história de Yidish, a partir do momento em que ela se mudou para Berlim até o momento em que ela se tornou quem ela é hoje, Sarah Wainness. Com uma narrativa totalmente envolvente e intrigante, Mallerey Cálgara construiu uma trama tensa e intensa. 

Guerra, crueldade, amizade, amor, Beco da ilusão é um daqueles livros que despertam no leitor os mais profundos sentimentos. Histórias que se passam na Segunda Guerra, tendem a mexer demais comigo, e dessa vez não foi diferente. A cada fato narrado eu ficava cada vez mais angustiada e triste. Apesar de ser uma obra de ficção, é baseada em fatos históricos reais, e a maneira como a autora retratou o holocausto, os campos de concentração e todas as maldades de Hitler e seus soldados, com detalhes na medida certa, faz com que o leitor se sinta vivenciando tudo aquilo, o que torna praticamente impossível não se comover. É doloroso, é chocante, é revoltante.

"- Tudo o que a memória amou já ficou eterno. E entre tudo que você poderia ser para mim na vida, a vida escolheu torná-lo saudade..." (p. 11)

Beco da ilusão é um livro que nos faz refletir muito. Durante toda a leitura, me peguei pensando em como Hitler manipulou tantas pessoas, fazendo uma lavagem cerebral e impondo seu ponto de vista e suas regras à todos a sua volta. Em contrapartida, saber que ali, existiam alguns soldados, que não eram nazistas e que, escondidos, procuravam ajudar como podiam, reacende uma pequena chama de esperança na humanidade.
O livro entrou para minha lista de favoritos, sendo uma das minhas melhores leituras do ano.

A capa condiz com a história, a edição conta com imagens da época  e frases de Hitler no início de cada capítulo. Páginas amareladas, ótima fonte e espaçamento confortável aos olhos, completam o capricho da edição.



Mais do que recomendado!






Beijos. ;)




16 comentários:

  1. Ei, Aline!

    Amei sua resenha! Super feliz por você ter lido e gostado do meu trabalho e também por tê-lo colocado em sua lista de favoritos!

    Muito obrigada pelo carinho e apoio!

    bjussss

    ResponderExcluir
  2. Oie, tudo bem? Livros que trabalham em cima da época da Segunda Guerra Mundial, são um dos que mais gosto de ler. Apensar de todo sofrimento que geralmente é descrito nos livros, esse tipo de livro trás um certo tipo de reflexão e ensinamento pra gente. Não conhecia a obra, mas já quero ler.
    Beijos
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  3. Os pontos ressaltados na resenha me deram uma boa noção sobre o enredo e os personagens. E o simples fato de ter a guerra na trama já me interessa, e de quebra ainda tem amor e ficou perfeito, com certeza aceito a dica.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Gosto muito de obras que abordem a Segunda Guerra Mundial e ainda não li nenhuma que fosse de autoria nacional, sendo que isso me chamou muito a atenção.
    Já li algumas resenhas da obra e todas foram bem positivas. Pretendo ler assim que possível para conhecer a escrita da Mallerey.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Este é um livro que eu gostaria de ler. Já li um parecido mas sobre a questão depois do tsunami de 2004 em que diversas meninas foram sequestradas com a mesma intenção e é realidade mesmo. Acho que isto é uma crueldade sem fim e gostaria de ver a narração da escritora.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, Aline.
    Achei um grande diferencial o livro ter esse enredo histórico de um momento muito marcante da humanidade.
    Acho que a narrativa em primeira pessoa faz om o leitor se sinta mais próximo da história e entenda melhor tudo que aconteceu, ainda mais porque tem essa intercalação do presente com o passado.
    Abraços.

    Sorteio de um exemplar de Fallen

    ResponderExcluir
  7. Oi, Aline!
    Lembro de ter lido uma resenha ou outra desse livro já tem algum tempo e, mesmo que a capa não tenha me atraído, mas essa premissa é realmente instigante, ainda mais por conter temas como o holocausto, que é algo que precisa continuar sendo conhecido e debatido em prol de não voltar a haver nenhum outro evento do tipo no mundo. Bom saber que a protagonista é tão forte e cheia de personalidade e vida no enredo, certamente deve fazer o leitor se apegar ainda mais à leitura, e, mesmo não me sentindo realmente inclinada a fazer essa leitura, fica como uma possibilidade, sim, para um dia que quiser algo mais profundo e emocionante. Valeu a dica!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br/ ♥

    ResponderExcluir
  8. Oi Aline.

    Achei interessante sua resenha, pois ainda não tinha lido nenhum e não tinha informações sobre o livro. Apenas conhecia a capa e a sinopse nas redes sociais. Além de ter uma edição caprichada, gostei de saber que a história é abordada na segunda guerra mundial. Dica anotada.

    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Oi!

    Eu não conhecia o livro, mas assim que vi a capa dele por aqui já comecei a ficar interessada, mas foi a tua resenha que me fez ficar curiosa para conhecer ainda mais a história.

    Adorei!

    ResponderExcluir
  10. Oiii!!

    Eu não conhecia esse livro e fiquei bem animada em relação aos elementos utilizados para construção do enredo.
    Gosto quando há vários detalhes e todos se complementam. A dica está anotadinha!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Olá!

    Não tenho coragem de ler esse livro, mesmo com diversas resenhas positivas sobre ele, não dá. Livros sobre nazismo sempre são chocantes, mesmo se forem 100% ficção. Não tenho estômago para essa leitura, infelizmente.

    ResponderExcluir
  12. Adoro leituras que se passam na primeira ou segunda guerra, também me tocam profundamente. Não conhecia a obra, que bom que vim conferir sua resenha, vou colocar nos meus desejados. Achei a trama muito bela e encantadora, deve ser uma leitura profunda e emocionante.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Li, sua linda, tudo bem?
    Esse título é bem forte, lembra aqueles clássicos antigos do cinema. Sobre a edição, achei linda a imagem que tem no livro, e fiquei arrepiada com a frase de Hitler que aparece na imagem. Quando vi a data e você falou que eles se mudaram para Berlim, meu coração já ficou apertado. Eu sempre procuro ler livros sobre a Segunda Guerra, é um assunto que mexe muito comigo também. Difícil encontrar uma obra que não seja baseada em fatos reais e isso é chocante. Foi muito cruel, desumano o que aconteceu com eles, e o que me destrói são os argumentos usados, os interesses que estão por trás dessa tragédia. Não conhecia esse livro, mas tenho certeza de que irei me emocionar com ele, vai para a lista com certeza. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Encantadora a resenha, e fiquei muito atraída pela história do livro, gosto de livros que se passam em períodos de guerra e que tem uma carga emocional intensa. Bjkas

    ResponderExcluir
  15. Oi Li, inicialmente ao chegar aqui eu meio que torci o nariz, aquela coisa de julgar um livro pela capa, mas depois de ler sua resenha fiquei com muita vontade de ler esse livro. Histórias que se passam durante as guerras também me fascinam, e o que mais me chamou atenção aqui é que vc falou sobre a presença de alguns soldados que ajudavam os oprimidos na época, isso quase nunca é retratado em romances do tipo e estou curiosa para saber como vai se desenrolar. Além disso os personagens parecem ser cativantes

    ResponderExcluir
  16. Oi Li!
    Confesso que antes eu via esse livro e nem dava atenção por conta da capa, depois que fui pegar pra ver do que se tratava e quebrei minha cara porque amo essas histórias que se passam na Segunda Guerra! E sendo nacional ainda, fiquei mais interessada porque não tinha visto uma história dessa na nossa literatura ainda. Fiquei bem curiosa pra saber como vai ser pra Yidish essa perseguição toda, uma menina tão nova né.

    ResponderExcluir

Quem Escreve

Aline (Li), taurina, 36 anos, turismóloga, paulista de Ribeirão Preto, apaixonada por séries de TV e compulsiva por livros (se estiverem em promoção, então..rs). Amo ler! :)



Colaboradora

Luciana (Lu), Ribeirão-pretana, 31 anos, virginiana e perfeccionista. Cake Design. Danço nas horas vagas por paixão e para relaxar. Amo artesanato, praia, filmes, seriados e claro, livros!

Seguidores

Facebook

Instagram

Editoras Parceiras





Universo dos Livros


Editora Arwen



Astral Cultural


Chiado 

Editora

Butterfly Editora


Mundo Uno Editora

Últimas Resenhas

Total de Visualizações

Acompanhe via E-mail

Classificação

Pesquisar no Blog

Publicidade